Por que há tanto racismo no futebol?

negro branco iguaisNos últimos meses vimos uma onda de racismo no Brasil, fanáticos insatisfeitos ofendendo a honra de seus desafetos por sua cor e origens dirigindo a estes palavras com ar de superioridade como se o fato de ser branco os tornassem superiores aos negros ou seria apenas um mal costume de expressão de nossa perturbada cultura local onde mesmo sem ter evidencias de preconceito é comum usar a expressão “seu preto filho da puta” esquecendo-se que ao manifestar-se dessa maneira está sendo racista.

Evidentemente existe uma dosagem entre aquilo que pode ser caracterizado com toda a certeza a pratica de uma manifestação racista pura e aquilo que pode ser caracterizado como o calor do momento, no entanto, é preciso instruir desde já de que não deixa de ser pratica racista ainda que inconsciente referir-se ao ser humano fazendo referencia a sua cor, infelizmente na maioria dos casos os atos são totalmente conscientes, ou seja, com as intenções de ofender devido a sua raça, intolerância não é novidade por aqui ainda que o problema seja geral estamos vendo racismo descarado neste momento no futebol, um esporte que deveria ser de união neste momento é abertura das portas da vergonha, os mais exaltados resolveram mostrar sua verdadeira face preconceituosa e o que é pior com requintes de maldade.

Se não for maldade e com intenções de ofender seu desafeto pela cor você não irá me dizer que o fato de um grupo de torcedores ter atirado “bananas” em volta do carro do arbitro de uma partida de futebol não caracteriza de forma evidente e incontestável um ato mais sórdido de racismo? Não resta dúvida de que a intenção daquele que praticou este tipo de ato era de fazer ofensas racistas ao arbitro, pois é muito comum referir-se a negros e compará-los a macacos sem levar em conta que o homem se originou destes primatas e não apenas os negros.

Praticamente todo branco inclusive quem vos escreve já teve de alguma forma uma manifestação racista nem que fosse inconsciente e passa a ser consciente a medida em que você entende que chamar uma pessoa da cor negra de “macaco” é uma manifestação racista, logo, aquele grupo de torcedores que jogaram bananas no carro do arbitro praticaram atos racistas.

Até mesmo entre os próprios jogadores de futebol manifestações racistas já ocorreram entre elas está um caso não tão distante da linha do tempo envolvendo um jogador do Palmeiras que chamou de macaco o seu adversário, certamente foi um ato racista consciente e que lhe rendeu na época uma pena pelo STJD.

Árbitros de futebol da cor negra também sofre racismo constante dos adeptos e provavelmente dos próprios jogadores já que sua grande maioria provavelmente é desconhecida, uma vez que essas manifestações racistas são restritas as casas dos adeptos e em volta de muitos brancos que ao ver tal pratica em sua maioria não reprende o infrator e quando o faz tem um negro por perto.

Os atos racistas não acabaram e agora contaminam o futebol manchando o que temos de melhor no Brasil por que a cultura brasileira não conseguiu abolir dos costumes de nossa população esse abominável preconceito e logo aqui no país onde tem a maior concentração de população negra, aliais, aqui tem a maior concentração de raças distintas, somos uma mistura de tudo o que você pode imaginar e São Paulo tem a maior concentração regional distinta do Brasil e por isso mesmo não deveria ter tanto racismo assim.

O que os negros tiveram até agora foram medidas para compensar esse racismo e não o verdadeiro combate a ele ou você acha que quotas em universidades é algo aceitável? Uma pessoa negra não é inferior a um branco em níveis intelectuais que justifiquem essa quota e não deveria levar desvantagens pois é justamente o preconceito que estamos querendo combater e se o preconceito é combatido de fato o negro passa a ter os mesmos direitos que os de raça branca, mas, parece haver mais interesse em compensá-los do que de fato combater a raiz do problema, isto é, o preconceito e a intolerância por parte das demais raças.

O que está acontecendo no futebol é apenas o reflexo da realidade do que na verdade fez o país em relação a isso, sem combater o preconceito, sem uma mudança de cultura e dando benefícios inválidos a pessoa apenas por que nasceu de cor negra estamos na verdade incentivando ao preconceito racial ao invés de colocar os negros em condições iguais aos brancos.

Anúncios

Sobre Thiago

Thiago Pereira de Brito (29) Jaraguá – São Paulo – SP é um cidadão que já teve de logo cedo lutar para viver, nascido no hospital Cruz Azul estava tentando ganhar peso suficiente já que nasceu fraco, mas infelizmente o excesso de oxigenação queimou o globo ocular de sua visão direita e o deixou sem entrada de luz e também afetou consideravelmente o olho esquerdo do qual enxerga estimados trinta por cento. O primeiro grande desafio do Thiago venho na infância a escolha de uma escola normal ou especial não parecia uma decisão muito fácil, mas, Thiago escolheu de bate pronto o que queria enfrentar e durante boa parte de sua vida enfrentou dificuldades sendo que a maior delas foi a sua própria alfabetização. Hoje Thiago trabalha como analista de suporte à redes por uma grande empresa, formado em ciência da computação tem uma história vencedora que você pode conhecer neste site acessando a seção História de Thiago.
Esse post foi publicado em Opinião e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s